#Notícias Unitoledo
 
 

Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo do UniToledo desenvolve projeto de restauração de praça em Araçatuba

Mariana Páscua

Visando a prestação de serviço à comunidade, o Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo do UniToledo desenvolve projetos arquitetônicos de qualidade sem cobrança de honorários promovendo assim, desafios e experiências de atuação na área para os futuros profissionais. A equipe já trabalhou nos projetos da área do Zoológico Municipal Dr. Flávio Leite Ribeiro, primeiro parquinho acessível do noroeste paulista, Mercado municipal e Arena “Real Madruga”.

Desta vez, os alunos do 6° e 10° semestres do curso, orientados pela coordenadora Ana Paula Cabral Sader executam o projeto de restauração da praça São Sebastião, conhecida como “praça da fumaça” em Araçatuba.

A INICIATIVA

Sader conta que a iniciativa do projeto partiu do Padre Rodney Mendes, responsável pela Paróquia São Sebastião que cuida da praça. Por saber dos projetos anteriores designados à comunidade, o ministro religioso procurou a equipe do escritório modelo por meio de um programa de rádio comandado por Marco Serelepe.

Partindo disso, a equipe entrou em reunião com o Padre, para entender as necessidades do projeto.

O PROJETO

Desde 2018, por meio do projeto “Abrace o Verde”, idealizado pela prefeitura de Araçatuba, a paróquia São Sebastião é responsável pela limpeza e manutenção da Praça. Sendo assim, os três grupos de alunos e coordenadora executam o planejamento buscando preservar as arvores locais.

“Todas as alterações foram feitas pensando na preservação das arvores e piso existente na praça, bem como a reforma dos bancos existentes que são de diferentes formas e tamanhos, alguns com graus avançados de deterioração. Portanto projetamos a partir disso”, comenta a coordenadora.

Além disso, o escritório modelo planeja a implantação de um parquinho e melhorias nos aparelhos de ginástica da praça. As melhorias são planejadas no serviço à comunidade da praça, tudo pensado no benefício à comunidade.

Outro ponto é o custo reduzido de implantação do projeto. Sader ressalta que o projeto prioriza a facilidade e o baixo custo de manutenção, por se tratar de um espaço público.

APRENDIZADO

A docente afirma que o momento é de grande aprendizado para todos os alunos envolvidos, pois é onde os acadêmicos entram em contato com problemas reais da comunidade, tendo a interface com os clientes e assumindo o valor significativo da atuação profissional no servir à população. O projeto agrega ambas as partes.

“Para a comunidade o maior ganho é ter a possibilidade de um projeto arquitetônico e urbanístico sem a cobrança de honorários, pois não visamos isso e sim a prestação de serviço para o bem da comunidade”, finaliza Sader.

Edição: André Ferreira